Hilda, a revista virtual plus size que você precisa (e deve) ler

Senta que lá vem história: sabe as pin ups? Vai, pensa em exemplos. Bettie Grable, Bettie Page, Marilyn Monroe, e assim vai. Todos no mesmo padrão de beleza exaltado na época, com super curvas. Mas, no meio disso tudo, quem fez sucesso por anos à fio foi a Hilda, a plus size mais querida desse tempo.

Ilustração: © Duane Bryers

Hilda é uma pin up plus size criada pelo ilustrador Duane Bryers, que sempre se sentiu sexy e poderosa. Ao contrário das demais figuras do cenário das pin ups, a Hilda é uma modelo plus size, bem ruivinha, e super de boas com o seu corpo. Ela foi figura presente em vários calendários dos Estados Unidos nos anos de 1950 até 1980.

Ilustração: © Duane Bryers

Mesmo não sendo uma pessoa física, a Hilda quebrou o padrão bonequinha das pin ups conhecidas. Não só no corpo, ela também mostrou um novo jeito de ser portar na frente “das câmeras”. Ela aparece bem mais relaxada e natural, em cenas divertidas, mostrando ser uma moça desastrada, mas – o mais legal de tudo isso – genuinamente humana: ela ri, faz coisa errada, não sabe o que tá fazendo. Completamente o oposto das pin ups tradicionais, que aparentam uma rigidez na imagem.

Ilustração: © Duane Bryers

Voltando pro famigerado século XXI, o que mais temos é capas de revista nos acusando de não fazer dieta, né. E soma isso com as redes sociais, que acaba com a nossa autoestima ainda mais. Mesmo com todas as campanhas de “ame o seu corpo”, e estando ciente que não existe certo ou errado, é difícil conviver com a internet nos mostrando ao contrário.

Foto: Divulgação/Revista Hilda

Sendo um respiro de alívio pra quem não se identifica com as tumblr girls da vida, foi lançada a Revista Hilda. É um projeto da Amanda Lima, uma jornalista brasiliense que percebeu que faltava espaço e visibilidade para as gordas e partiu pra ação. A revista quer acabar com estereótipos e mostrar representatividade nesse universo das revistas de comportamento. Assim, a publicação traz moda, cultura, mercado, beleza, entre outros assuntos que não são abordados de forma universal por outras revistas do nicho.

Na primeira edição da Revista Hilda, a matéria que abre a publicação já é pra desmitificar o que muitos falam sobre pessoas acima do peso. Em “Saúde não é questão de peso”, discuta-se como ser gorda não é sinônimo de doença. De exemplo, o texto fala de uma guria que chegou a pesar 42kg (!) por causa do ideal do corpo perfeito leia-se magro quase esquelético. Óbvio que deu ruim e a moça desenvolveu anorexia. Aproveitando o assunto: quando encontrar uma miga que emagreceu notoriamente, não elogia, tá? Chamar a outra de magra tipo “miga, como você tá magra, que máximo!” não é elogio. Até porque você não sabe se ela não passou duas semanas vomitando a janta. É questão de costume, então rola refletir sobre isso.

Pulando umas páginas, temos “Se enxerga!”, com plus sizes notórias. A Hilda do início do post aparece em primeiro lugar <3, seguida por outras sugestões de materiais que englobam a temática, como a série My Mad Fat Diary, que geral compartilha no Facebook uma cena emocionante da personagem aprendendo a se não se odiar.

Agora a nossa parte favorita da revista: o editorial de moda plus size <3 mmais amorzin’. Todo colorido, os biquínis divos, as moças modeletes então <333 É uma pool party só de maravilhosas, mostrando que gordas podem usar a roupa de banho que quiserem. Linkando com o editorial, tem uma reportagem sobre aceitar o próprio corpo em “Gorda SIM!”. Leiam, tá muito bom e informativo! Depois, tem uma crônica da Amanda sobre uma situação péssima que aconteceu com ela numa saída de casa para lanchar.

Já para acabar a revista, tem uma matéria sobre como o mercado de consumo não abrange as medidas de moças plus size, apesar das “coleções especiais” que algumas redes de lojas oferecem de vez em nunca. Finalizando, tem sugestões de moças empoderadas para se inspirar, uma entrevista com a escritora Larissa Siriani, que lançou o livro “Amor Plus Size”, e um convite pra quem quiser colaborar com a revista.

Desejamos sucesso pra Amanda e esperamos que você, ser humano que tá lendo aqui, dê uma folheada online na revista, que tá super profissional e informativa.

Curta a Revista Hilda no Facebook: https://www.facebook.com/revista.hilda

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *